sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Túnel estranho encontrado em Marte




Especialistas da NASA estão intrigados com a origem de um objeto estranho na superfície de Marte.

Os cientistas encontraram o objeto em forma de cone com uma base em forma de círculo perfeitamente liso e com um buraco negro assustador no meio (segundo cálculos, de cerca de 35 metros de diâmetro) absolutamente por acaso, estudando imagens transmitidas pela estação espacial Mars Reconnaissance Orbiter. A foto foi tirada perto do vulcão extinto Pavonis Mons. Segundo astrônomos, é muito possível que este túnel é uma entrada para uma galeria subterrânea.
Se o segredo do túnel for descoberto, no futuro objetos semelhantes poderão tornar-se em lugares ideais para aterragem de navios espaciais e dispositivos não tripulados.

Fonte: Voz da Rússia

Holandeses pretendem colonizar Marte




A empresa holandesa Mars One pretende começar a colonização de Marte em abril de 2023.



Relatam que os primeiros colonizadores serão quatro cosmonautas que nunca irão retornar para a Terra. Depois disso, á base, que será preparada pelos primeiros colonizadores, cada 2 anos serão enviadas 4 pessoas. Prevê-se que em 2033 já 20 pessoas morerão em Marte.
A vida dos colonizadores de Marte será transmitida ao vivo. Supõe-se que este será o maior projecto na história da televisão.
Os telespectadores serão capazes de dar conselhos aos "marcianos", e os astronautas irão compartilhar suas impressões e falar sobre sua experiência.

Fonte: Voz da Rússia


Influência do cinema na moda


Há muito tempo, pode-se afirmar, sem medo de errar, que Cinema e Moda são culturas altamente interligadas.
O cinema inspira a Moda em cores, formas, acessórios, ditando, muitas vezes, tendências que serão seguidas pela Moda na próxima estação.
É o que acontece, no momento, com a forte aposta que grandes marcas têm feito na cor azul royal.


Ou você acha coincidência o lançamento do filme Smurfs?





quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Automóvel no Brasil custa até 106% mais que lá fora


Na garagem de casa, o carro da família pode ser o mesmo de americanos, europeus, argentinos ou japoneses. Mas o preço certamente é muito diferente. Margem de lucro maior, impostos elevados, altos custos de mão de obra, de logística, de infraestrutura e de matérias-primas, falta de competitividade, forte demanda e um consumidor disposto a pagar um preço alto ajudam a explicar o porquê de o veículo aqui no Brasil chegar a ser vendido por mais do que o dobro que lá fora.

Levantamento em cinco países — Brasil, EUA, Argentina, França e Japão — mostrou que o carro brasileiro é sempre o mais caro. A diferença chega a 106,03% no Honda Fit vendido na França (onde se chama Honda Jazz). Aqui, sai por R$ 57.480, enquanto lá, pelo equivalente a R$ 27.898,99. A distância também é expressiva no caso do Nissan Frontier vendido nos EUA. Aqui, custa R$ 121.390 — 91,31% a mais que os R$ 63.450,06 dos americanos. Há cerca de duas semanas, a “Forbes” ridicularizou o preços no Brasil, mostrando que um Jeep Grand Cherokee básico custa US$ 89.500 (R$ 179 mil) aqui, enquanto, por esse valor, em Miami, é possível comprar três unidades do modelo, que custa US$ 28 mil.

O setor teve o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido. O incentivo terminaria sexta-feira, mas deve ser prorrogada por dois meses.
Especialistas estimam que a margem de lucro das montadoras no Brasil seja pelo menos o dobro que no exterior, por causa de um quadro de pouca concorrência — ainda que já seja o quarto maior mercado de carros do mundo, incluindo caminhões e ônibus, atrás de China, Estados Unidos e Japão. O diretor-gerente da consultoria IHS Automotive no Brasil, Paulo Cardamone, estima ganho de 10% do preço de um veículo no Brasil, enquanto no mundo seria de 5%. Nos EUA, esse ganho é de 3%:
— Lucro de montadora no Brasil é maior que em qualquer lugar do mundo, pelo menos o dobro. O mercado automobilístico no Brasil é protegido, taxam-se os importados e há concentração forte das vendas nas quatro grandes marcas. Lá fora, as maiores têm cerca de 30% do mercado — afirma ele.
Volkswagen, General Motors, Fiat e Ford — responderam por 81,8% dos 2,825 bilhões de carros vendidos no país em 2011.
— Existe uma demanda grande pelos veículos no Brasil, o que mantém os preços em alta. Se a montadora sabe que há compradores, por que dar desconto? — diz Milad Kalume Neto, gerente de atendimento da consultoria Jato Dynamics do Brasil.
De todo modo, há outros vilões para preços tão elevados. O imposto é, de praxe, apontado como o grande causador. Mas, mesmo descontando as alíquotas, os consumidores nacionais ainda são os que precisariam pagar mais para ter o bem. O preço do Nissan Frontier vendido no Brasil cairia, por exemplo, de R$ 121.390 para R$ 81.209,91, ainda é mais que França e EUA com impostos.
— Não se pode ignorar o custo Brasil, que encarece toda a cadeia produtiva com os problemas de logística e infraestrutura do país, além do custo da mão de obra brasileira — diz José Caporal, consultor da Megadealer, especializada no setor automotivo.
imposto nos eua é de até 9%
Segundo a Anfavea, a associação das montadoras, os impostos representam cerca de 30% do preço dos veículos, considerando as alíquotas normais do IPI. Nos carros 1.0, os impostos representam 27,1% do preço. Na faixa de veículos entre 1.0 e 2.0, o peso dos impostos é de 30,4% para os que rodam a gasolina e de 29,2% para motores flex e etanol. Acima de 2.0, respondem por 36,4% e 33,1% do preço, respectivamente. Nos EUA, os impostos são de até 9% do preço ao consumidor.
No Brasil, outro fator complicador é o fato de grande parte das compras ser financiada. O consumidor se preocupa mais com o tamanho da parcela que com o preço final do veículo.
— Nosso carro ainda é muito caro, é um absurdo — afirma Adriana Marotti de Mello, professora do Departamento de Administração da FEA/USP.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A influência da Novela na vida das pessoas


Reunir-se em frente à televisão após o jantar para assistir à telenovela, mais que um hábito tornou-se um ritual nos lares brasileiros. Cultuada, a novela dita moda, linguagem, hábitos e contribui para a alienação de seu público.

A imagem de um “mundo perfeito” mostrada nas novelas dá uma visão distorcida da realidade. Os padrões difundidos são copiados e seguidos, porém, as pessoas não conseguem adaptá-los a uma vida real, o que gera ansiedade, angústia e frustração. Compramos a idéia ilusória de um mundo perfeito, em que todos os problemas são resolvidos, o mal é punido e o bem sempre vence. Romântico, mas irreal...

Embora problemas sociais também sejam abordados em novelas, para nós, os telespectadores, a trama e o destino dos protagonistas são sempre priorizados. Isso nos torna acríticos e, assim, naturalizamos questões sociais graves passando a considerá-las normais ou comuns. Temas sobre drogas e homossexualismo exibidos em novelas são encarados como “uma livre opção de cada um” e não como um desafio para a sociedade.
 Outro problema é o da construção de mitos. Espelhando-se nos protagonistas, os jovens os idolatram e ignoram suas atitudes erradas, para as quais sempre buscam justificativas. Os galãs de novela são para as meninas o estereótipo de homem perfeito e para os rapazes o modelo a ser seguido. O fato, no entanto, de traírem as esposas, armarem golpes, terem desvios de caráter, não é mais recriminado, e por vezes, é até admirado! Um ator bonito, carismático, num papel de vilão, triplica seu número de fãs! 
A identificação com personagens é outro fator importante. As pessoas se comparam com os personagens ditos mais belos, bem-sucedidos, ou ainda com aqueles que rompem com os padrões sociais. Esse comportamento alienado poderia ser revertido desde que se aplique uma prática de politização e conscientização social, e se trabalhe mais a auto-estima do povo brasileiro. O problema não é assistir à telenovela, mas é necessário o desenvolvimento de um senso crítico que nos permita escapar do mundo fantasioso criado pela teledramaturgia. O povo precisa de valores reais para viver uma vida real.
Fonte: pt.shvoong.com

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Vaticano manifesta-se contra “pecados” de corporações alimentícias



O Vaticano aderiu a apelos a convocar uma cúpula extraordinária do G 20 para discutir problemas alimentares do mundo. Como declarou o observador permanente da Santa Sé nas Nações Unidas, arcebispo Silvano Tomasi, este encontro deve ser efetuado ainda antes do fim do ano.

O tema principal é a estabilização dos preços dos artigos alimentícios e a obrigação dos monopólios agrários de deixar de especular nos mercados.
A Santa Sé intervém raras vezes na economia, mas a fome também a preocupa. Hoje se torna evidente que mais uma crise alimentar ameaça o mundo, tal como há quatro anos. Na altura, as revoltas da fome atingiram 30 países.
Uma forte seca nos Estados Unidos e a intempérie na Ásia levaram a uma redução da colheita de cereais e, em resultado, a uma subida brusca dos preços de todos os artigos alimentares sem exceção. Segundo os cálculos do Programa Alimentar da ONU, o número de famintos no planeta aumentará no fim do ano em 53 milhões de pessoas.
A próxima crise não é a primeira e, pelos vistos, não é a última. Ainda durante a crise dos preços de 2008, os peritos advertiam que é necessário quebrar o sistema. No caso contrário, os problemas passarão para a “profundidade” e, saindo daí, tornar-se-ão mais maduros. É isso que acontece agora.
Vladimir Kvint, chefe da cátedra de estratégia financeira da Universidade de Moscou, afirma que a subida dos preços dos artigos alimentares tem causas objetivas. O perito considera que o apelo do Vaticano é bastante atual:
“O Vaticano coloca uma questão justa. Por outro lado, a maioria das estruturas da ONU tornou-se obsoleta. Fala-se disso durante muito tempo, mas nos últimos dez anos nada foi feito praticamente. Tais organizações internacionais como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional devem continuar as reformas que, diferentemente da ONU, já começaram nestas entidades. Nestas reformas, é necessário dispensar mais atenção aos fornecimentos de víveres e ao aumento de salários nas esferas ligadas à saúde pública.”
Propriamente dito, a questão é muito simples. Para que o mundo precisa do modelo de mercados alimentares, em que 800 milhões de pessoas vivem permanentemente em fome ou alimentação insuficiente? Segundo os prognósticos da ONU, o seu número aumentará em quatro milhões de pessoas a cada ano. Naturalmente, os Estados Unidos e a Europa não enfrentam tal ameaça.
Há muitas causas da subida dos preços: são especulações no mercado, a superpovoação, o aquecimento global e a estrutura formada do mercado alimentar.
Vivemos numa época do aquecimento especulativo dos preços das principais matérias-primas e dos artigos alimentares. A maioria dos centros de emissão continua a imprimir dinheiro na Europa para superar a crise e a massa monetária puxa os preços para cima. Mas este é um fator local. É mais importante que o consumidor começou a comer mais carne. Mas, para aumentar a produção de artigos de carne, é necessário aumentar também a produção de cereais.
Entretanto, o Instituto Internacional da Água advertiu que dentro de 40 anos teremos de ser, como tudo indica, vegetarianos. A Terra terá em 2 biliões de habitantes mais. O planeta, simplesmente, não irá dispor de recursos aquáticos necessários para proporcionar carne a todos.

Fonte: Voz da Rússia

Tesouro grego foi encontrado perto de Taman


Um tesouro de moedas e joias antigas foi encontrado perto da cidade de Taman (costa do Mar Negro da Rússia).

Ele foi levado de uma embarcação antiga grega de 16 metros que foi recentemente descoberta por arqueólogos. Pressupõem que o navio permaneceu no fundo do mar cerca de 13 séculos.

Nos séculos VI-II a.C. aqui estava localizado o porto de Fanagória, a maior colônia grega no território da Rússia moderna.

Cientistas russos simulam mente humana



Cientistas russos foram os primeiros no mundo a criar uma simulação da mente humana em computador. O programaEvgueni que eles desenvolveram é apenas 0,8 por cento menos capaz que o cérebro humano. Ele foi reconhecido como o melhor no recente Concurso Internacional de Inteligência Cibernéticarealizado no Reino Unido.

Todos os programas participantes no “brainstorming” tinham que passar o chamado teste de Turing. Este matemático britânico é considerado o fundador da técnica de computação. Ele inventou um jogo de simulação que permite determinar quem é o seu interlocutor – uma máquina ou um ser humano. As regras são simples: o examinador fala com anônimos que respondem a suas perguntas. Pela qualidade das respostas ele identifica o “impostor” – um programa de computador. Como é sabido, uma conversa viva é uma tarefa impossível para um interlocutor-robô.
Os primeiros programas que foram testados pelo método de Turing, mais pareciam uma brincadeira e tentavam enganar as pessoas foram, disse à Voz da Rússia o doutor em ciências físicas e matemáticas, chefe de departamento do Instituto de Matemática Aplicada de Keldysh, Mikhail Gorbunov-Posadov:
"Eles repetiam preguntas, reorganizavam de alguma forma as palavras nas preguntas que se lhes faziam. E a pessoa que estava do outro lado realmente pensava que estava falando com alguém bastante razoável. É claro, esta impressão não podia durar muito tempo, mas por algum tempo durava."
Segundo o cientista, tal programa não servia nenhum propósito sério, simplesmente tentava criar uma ilusão para seu parceiro. E chamá-lo de inteligência artificial não se pode. No entanto, isso não significa que o desenvolvimento nesta direção não tenha sentido, nota o especialista:
"O fato de os especialistas estarem trabalhando nesta área não é trabalho em vão. É realmente uma análise de diferentes aspectos linguísticos, morfológicos e sintáticos. O discurso da parte da máquina deve ser construído com bastante precisão, caso contrário as pessoas não a tomarão por um parceiro. Para chegar a este nível são necessários esforços, que depois vêm a ser úteis em muitas indústrias."
Por enquanto a capacidade da máquina é limitada. Mas acredita-se que se ela conseguir “enganar” um ser humano ao responder a 30% das perguntas, se pode falar da presença de inteligência artificial. O programa russo Evgueni passou os 150 diálogos propostos com o resultado de 29,2%. Assim, ela ficou para trás dos dos números de referência por apenas alguns décimos de por cento. Foi isso que levou a equipe da Rússia a ganhar a competição.
Este resultado é um grande avanço no campo da inteligência cibernética. Isso não quer dizer que tenha sido criado algo antropomórfico em todos os aspectos, nota o cientista, mas esses programas ajudam a resolver problemas para os quais não existem boas abordagens tradicionais.

Fonte: Voz da Rússia

Túnel estranho encontrado em Marte



Especialistas da NASA estão intrigados com a origem de um objeto estranho na superfície de Marte.

Os cientistas encontraram o objeto em forma de cone com uma base em forma de círculo perfeitamente liso e com um buraco negro assustador no meio (segundo cálculos, de cerca de 35 metros de diâmetro) absolutamente por acaso, estudando imagens transmitidas pela estação espacial Mars Reconnaissance Orbiter. A foto foi tirada perto do vulcão extinto Pavonis Mons. Segundo astrônomos, é muito possível que este túnel é uma entrada para uma galeria subterrânea.
Se o segredo do túnel for descoberto, no futuro objetos semelhantes poderão tornar-se em lugares ideais para aterragem de navios espaciais e dispositivos não tripulados.

Fonte: Voz da Rússia

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Israel, a arte de pedir



Israel se absterá de atacar o Irã antes das eleições norte-americanas se os EUA prometerem começar eles próprios uma operação militar na primavera. Esse é, aparentemente, o ponto principal de um secreto acordo prévio, ao qual os líderes dos dois países retornarão em setembro, à margem da Assembleia Geral da ONU.
Esse vazamento apareceu na mídia israelense na véspera de uma nova rodada de negociações sobre a questão nuclear iraniana. Segundo peritos, isso pode ser um pedido oculto aos Estados Unidos para aumentarem sua ajuda.
O acordo ao qual se refere a mídia foi elaborado a nível de assessores dos líderes dos dois países, Tom Donilon e Ron Dermer. Ele contém outras clausulas também. Se não houver progresso na resolução do problema iraniano, Barack Obama deve notificar por escrito o Congresso sobre sua decisão de usar a força militar para evitar a criação de uma bomba nuclear iraniana. E mais perto das eleições de novembro nos EUA, Obama irá dar um discurso no parlamento israelense e se comprometerá publicamente a usar a força. Se os procedimentos forem cumpridos, Israel concordará em adiar o ataque, diz a publicação.
Nos últimos meses, os Estados Unidos tem restringido de todos modos a retórica beligerante de Israel em relação ao Irã. No âmbito deste esforço, em 14 de agosto o chefe do Pentágono Leon Panetta apontou em seu discurso para a incapacidade de Israel de causar sérios danos a instalações nucleares iranianas. Os americanos estão tentando ganhar tempo para dar outra chance à diplomacia. Portanto, tal acordo poderia muito bem existir, acredita o perito do Instituto de Estudos Orientais, Liudmila Kulechova:
“A América está tentando por todos os meios chegar a um acordo com o Irã. Especialmente agora, quando a situação econômica e financeira no Irã está bastante difícil. Por causa disso, ele pode fazer algumas concessões em seu programa nuclear. Eu acho que até a primavera será esclarecido o problema com a Síria, o que também é muito importante. Obama disse recentemente que ele está quase pronto para intervir na Síria. E depois há a questão do Irã. Isso é difícil até para a América.”
Existe um outro ponto de vista: um ataque militar contra o Irã é pouco provável. Esta conclusão foi publicada no recente relatório de Shai Feldman – um grande perito israelense sobre o triângulo de relações Washington-Teerã-Tel Aviv. O chefe do Centro de Estudos Orientais da Academia Diplomática do Ministério das Relações Exteriores russo, Andrei Volodin, concorda com sua opinião:
“Uma operação militar contra o Irã é loucura. A América precisa destacar pelo menos um milhão de soldados e mais de 2 mil aviões. Ela não tem tal capacidade. Qualquer outra operação, exceto por terra, não terá muito efeito. Uma operação limitada só irá acelerar a criação de armas nucleares pelo Irã. Por enquanto, a decisão política de sua produção ainda não foi tomada.”
O relato sobre o suposto acordo secreto não é uma tentativa de influenciar Teerã antes da nova rodada de negociações. Seus autores certamente pensam sobriamente, continua Andrei Volodin:
“O vazamento está relacionado com a pressão dos círculos dirigentes israelenses sobre os EUA. É um desejo de usar as contradições entre os dois principais candidatos presidenciais – Barack Obama e Mitt Romney. Israel acredita que precisamente antes da votação decisiva em novembro pode ganhar ainda mais concessões tanto do lado do presidente, como da parte dos republicanos, concorrentes para a presidência.”
Segundo o perito, quando a publicação funcionar, Israel receberá dos EUA uma ajuda militar e financeira ainda maior. Não há dúvidas disso. Até agora, todos os seus pedidos têm sido totalmente satisfeitos.

Fonte: Voz da Rússia

A influência da mídia em relação à moda do jovem



O jovem de hoje é aquilo que o capitalismo sempre sonhou, ou seja, está dentro de uma das formas criadas pela indústria cultural para ser considerado normal. E a mídia tem um papel fundamental, pois, armada com a propaganda e o marketing, impõe diversos contravalores e faz disso uma falsa oportunidade para ele "ser feliz".
Para ser valorizado, o jovem tem de estar na última moda, ter um corpo atlético e ser aceito em sua turma. Se ele não tem o tênis da moda, o corpo cheio de curvas ou é introvertido, é simplesmente deixado de lado, esquecido. Parece que, para ele se sentir incluído, precisa ter certo poder aquisitivo para consumir, para que percebam sua existência, como se isso fosse uma senha de reconhecimento.
Com o poder de influência que a mídia possui, não impulsiona os jovens para os valores que mantêm sua dignidade, porque se eles tomassem consciência do quanto são manipulados, o mercado não teria para quem vender seus produtos. O jovem é mais poroso, mais hedonista, mais “presenteísta”. Para ser um bom consumidor, precisa estar aberto às influências e ser imediatista. Por isso, é o alvo perfeito do consumismo. A mídia captura sua vontade para que ele consuma uma falsa identidade, operando no desejo e, sobretudo, no inconsciente.
A que ponto chegamos? Em uma fase da humanidade em que se diz existir a liberdade de escolha, a mídia manipula a mente dos jovens para que estes comprem o produto do anunciante que pagar mais. E vai mais além, tornando isso uma regra, um código de conduta e inclusão. Censura não é a solução, mas conscientização é a palavra. Deve-se mostrar ao jovem que ele não precisa de tudo o que é anunciado e fazê-lo perceber que a inclusão em um grupo não deve depender de aquisições da moda e, sim, da afinidade de gostos e idéias. Idéias próprias, não as concepções pré-fabricadas da TV.

Fonte: educacional.com.br

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Cientistas siberianos e bielorussos criam material para bateria “eterna”


Cientistas siberianos e bielorussos criaram um material original que servirá de base aos elementos de alimentação que funcionam com base nas fontes de energias renováveis.

O novo elemento de alimentação é uma espécie de bateria, mas, ao contrário desta, pode funcionar sem ser recarregado e fornecer eletricidade enquanto tiver ácido e redutor.
No futuro, os dispositivos que transformam a energia química em energia elétrica poderão trabalhar sem recarga pelo tempo que for necessário. Cientistas de todo o mundo levam a cabo estudos nesse sentido.

Fonte: Voz da Rússia

EUA fazem novo ultimato à Síria



Os EUA ameaçam empreender ações contra a Síria à revelia da ONU. A representante oficial do Departamento de Estado na ONU, Victoria Nuland, admitiu esta possibilidade.

Durante o briefing de segunda-feira ela deu a entender que Washington pretende informar o representante especial da ONU e da Liga Árabe na Síria, Lahdar Brahimi, de tal intenção.
Tudo indica que os EUA pretendem infligir um novo golpe contra o prestígio da ONU, pondo em dúvida a sua capacidade de superar as crises, - reputa Aleksei Podtserob, perito do Instituto de Estudos Orientais junto da Academia de Ciências Russa.
"Nesta declaração de Victoria Nuland não há nada de surpreendente. Os americanos já recorreram reiteradas vezes à força bruta, à revelia das decisões da ONU. Basta recordar a sua intervenção no Panamá e a invasão em Granada. Há relativamente pouco foi perpetrada a agressão contra a Jugoslávia e, em 2003, deu-se a intervenção no Iraque. Esta última também foi cometida à margem do Conselho de Segurança e sob um pretexto evidentemente forjado – afirmava-se que Saddam Hussein possuía armas biológicas e químicas. Qual será o resultado do ataque contra a Síria? Haverá, certamente, uma guerra de plena envergadura, serão derramados rios de sangue. Tal será o resultado. É evidente que a Síria é incapaz de resistir aos EUA, isto é claro. Mas, por outro lado, eu conheço bem os sírios – eles irão resistir até à última. Portanto, será uma nova guerra muito sangrenta no Próximo Oriente."
O presidente dos EUA Barack Obama também advertiu sobre a possibilidade da intervenção na Síria. Durante o briefing extraordinário de segunda-feira ele declarou que, por enquanto, não tinha dado ordem de intervir, mas ameaçou, ao mesmo tempo, que podia adotar uma outra posição caso Damasco use armas químicas ou bacteriológicas. Este é um novo ultimato a Damasco e um desafio à comunidade internacional, que dispõe de mecanismos convencionais para impedir o uso de armas de extermínio em massa.
São precisamente estes mecanismos que devem ser postos em ação nos contatos com Damasco, o que é confirmado pelo crescimento da ameaça de que as armas de extermínio em massa que se encontram na Síria possam cair nas mãos da Al-Qaeda. Por mais paradoxal que pareça, quem pode ajudar a que isso aconteça são os EUA. Este país apoia a oposição armada da Síria, cujos comandantes confessam que têm utilizado cada vez mais os militantes da Al-Qaeda. Aliás, os americanos asseveram que não fornecem ajuda militar à oposição. Todavia eles estimulam por todos os meios a Arábia Saudita e o Qatar a fornecê-la. Washington procede da mesma maneira em relação à Turquia e à Líbia, cujos territórios também são utilizados para fornecer à oposição armas e os efetivos militares. Se a oposição conta cada vez mais com a Al-Qaeda, não pode deixar de prestar-lhe crescente ajuda em forma de armamentos e informações de inteligência, que vêm de fora. Eis a opinião de Boris Dolgov, analista do Instituto de Pesquisas Orientais da Academia de Ciências Russa.
"Os EUA lutam contra a Al-Qaeda no Afeganistão e no Iêmen. Esta organização foi taxada de “inimigo número um”. Ao mesmo tempo, Washington apoia na realidade a Al-Qaeda na Síria. O mesmo ocorreu na Líbia. Recordemos a história da guerra civil no Afeganistão quando os serviços secretos americanos apoiavam Bin Laden e este homem era considerado “agente de influência” dos EUA. Agora os EUA e os principais países da NATO procuram derrubar o regime sírio que não lhes convém, utilizando para isso os islamitas radicais, incluindo, a julgar por tudo, também a Al-Qaeda. Pretendem utilizar mais tarde estas forças islamitas radicais em prol dos seus objetivos. É o mesmo que já tentaram fazer no Afeganistão. Portanto, Washington comete o mesmo erro, - para não dizer que se empenha num jogo perigoso, - que já tinha sido cometido no Afeganistão."
Face ao crescimento de informações sobre a intensificação da atividade da Al-Qaeda na Síria, Moscou advertiu segunda-feira que o contrabando de armas para este país é inadmissível. No comentário do Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa constata-se, em particular, que a Líbia, a Turquia e o Líbano se tornaram canais de fornecimento de armas à oposição síria.

Fonte: Voz da Rússia.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Enganação com dublê de corpo em novela


Aline de Barros já está na TV há algum tempo, mas ficou famosa mesmo quando o mundo descobriu que ela é a dublê de corpo de Isis Valverde na novela "Avenida Brasil". A bailarina carioca de 32 anos fez algumas aparições no "Zorra Total", como dançarina e atriz, como contou o site "Ego".
A experiência ao lado de Isis, aliás, é a primeira em uma novela. "Chamaram algumas meninas do 'Zorra' porque talvez precisassem de dublês. Foi a minha primeira vez. Gostei muito. Foi o maior barato. A Isis é muito bacana e adorei estar lá", confessou a bailarina.
Aline, que também é estudante de design de interiores, contou que gravou inclusive a cena do ensaio sensual da mulher de Roni (Daniel Rocha). "No sábado gravei uma cena que deve ir ao ar nesta semana. Eu apareço com as costas nuas, durante o ensaio fotográfico que a Suelen faz no Divino", falou.
Ela, que é mãe de Davi, de 3 anos, acredita que, mesmo como dublê, pode conseguir visibilidade dentro do meio artístico. "Se eu tivesse desde o início da novela, acho que teria mais visibilidade, sim. Ficarei feliz se tiver mais cenas para gravar. Seria bacana para eu poder investir mais nessa carreira de atriz, que eu estava mais afastada", concluiu.
Fonte: Yahoo
Fonte: Montagens, maquiagens, dublês de corpo, muito do que se vê não é a realidade e o que importa é o show televisivo de "pão e circo" de alienação e roubo ao tempo e inteligência de cada um para se ter audiência, onde o que importa são os valores monetários.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Alimentação com horário fixo é mais importante do que a própria comida


Biólogos norte-americanos realizaram um experimento em camundongos de laboratório, que mostrou que as refeições com tempo limitado podem ser mais benéficas do que ter acesso à comida 24 horas por 24, mesmo que o consumo de calorias seja igual. Os resultados do estudo foram publicados na revista Cell Metabolism.
As consequências para a saúde por causa da alimentação incorreta podem ser também um resultado da divergência entre os ritmos biológicos do homem e o horário das refeições, definiram os especialistas.
Os cientistas consideram que manter um adequado intervalo de tempo entre as refeições é fundamental para aqueles que desejam perder peso.

Fonte: Voz da Rússia

Vegetarianos são mais inteligentes, mas não são mais ricos



Crianças com elevada inteligência são significativamente mais propensas a se tornarem vegetarianas mais tarde na vida.
A estas conclusões chegaram investigadores da Universidade de Southampton após a observação de 8.179 residentes do Reino Unido durante muitos anos. Segundo os pesquisadores, o IQ no grupo de crianças que se tornaram vegetarianas até aos 30 anos era em cinco pontos superior à média de sua faixa etária.
Em geral, entre aqueles que escolhem o vegetarianismo na fase adulta, prevalecem as mulheres. Os vegetarianos têm níveis mais elevados de educação ou de competências, mas sua renda média não é superior à dos não vegetarianos.

Fonte: Voz da Rússia

Nota: Podem não ser os mais ricos (até porque são minoria), mas dou uma lista de alguns vegetarianos: Albert Einstein, Leonardo da Vinci, Voltaire, Richard Wagner, Tolstoi, Pitágoras, Isaac Newton, Platão, Steve Jobs, Sócrates, Paul McCartney, Confucio, Henry Ford, Herbert George Wells, Schopenhauer, George Bernard Shaw, Thomas Edison, Abraham Lincoln, Peter Singer, Martin Luther King, Gandhi, Jacques Rousseau, Van Gogh, Benjamin Franklin, Morrissey, Franz Kafka, dentre outros.

Aparência de um doce pode provocar apetite por si só



Basta, digamos, olhar para a fotografia dum bolo de chocolate para ter um forte desejo de comer qualquer coisa.
Provam-no os resultados de um estudo do cérebro efetuada por um grupo de cientistas da Universidade da Califórnia do Sul.
Os cientistas descobriram que o homem, vendo doces, ativa a parte do cérebro que controla as sensações do apetite, o prazer e a recompensa. Um processo análogo decorre no cérebro da pessoa cocaínodependente. Quando esta vê, por exemplo, uma seringa, a referida zona do cérebro é ativada.

Louça vermelha ajuda a combater alcoolismo e gula




Louça vermelha pode ajudar a combater excessos de comida e de álcool, dizem os cientistas.

De acordo com estudos, utilizando utensílios dessa cor reduzem a ingestão de comida e de álcool.
"Esse comportamento, provavelmente, se deve ao fato de que a cor vermelha é evolutivamente associada a noção de perigo”, diz Ursula Arens, da Associação Dietética Britânica. Então, se você usar louça vermelha, o desejo de continuar comendo, geralmente, é reduzido.
Essa afirmação foi comprovada por 41 estudantes do sexo masculino. Eles foram convidados a beber em copos vermelhos e azuis. No resultado, as pessoas com copos vermelhos beberam menos que as de copos azuis.
Na segunda etapa da experiência, 109 voluntários receberam 10 salgadinhos em pratos vermelhos, azuis e brancos. As pessoas que receberam os saldadinhos nos pratos vermelhos, comeram menos que os demais.

Ocidente não está disposto a ajudar a Rússia e estabelecer armistício na Síria


Os parceiros ocidentais da Rússia no Grupo de ação para a Síria não estão dispostos a ajudá-la a estabelecer o armistício nesse país.

O encontro marcado para a sexta-feira com a participação de representantes dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, da Turquia, Iraque, Kuwait, Qatar e UE foi adiado por tempo indeterminado.
O encontro foi proposto pela Rússia na ONU a nível de embaixadores. Ela também preparou um projeto de declaração, em que formulou suas iniciativas: exortar as partes em conflito a estabelecer prazos curtos de cessar fogo e exigir delas a nomeação de representantes plenipotenciários para manter conversações de paz.
Alguns membros do Grupo de ação expressaram a disposição de ir ao encontro e debater o documento russo. Os representantes ocidentais do Grupo de ação disseram que não estão prontos para isso. Foram citados diferentes argumentos e pretextos. Quais – o organizador do encontro, representante permanente da Rússia junto à ONU, Vitali Tchurkin – não disse. Pelo visto por considerações éticas. No entanto a reação do Ocidente à iniciativa russa é bastante clara – considera Andrei Volodin – dirigente do centro de pesquisas orientais da Academia diplomática do Ministério das Relações Exteriores da Rússia:
"Agora os EUA e seus aliados menores – França e Grã-Bretanha – enganam a comunidade mundial. E depois a comunidade mundial descobrirá inesperadamente que foi enganada e começará a despertar bruscamente. Por isso é necessário continuar os esforços para solucionar o conflito sírio, como o fazem os diplomatas da Rússia, China e seus aliados mais próximos."
O Ocidente não respondeu à iniciativa da Rússia de mais uma vez pressionar ambas as partes do conflito sírio, porque conduz seu jogo na Síria. Ele aumenta o apoio militar à oposição para derrubada das autoridades legais na Síria. Nesta semana a secretária de estado norte-americana Hillary Clinton praticamente fez uma tentativa de formar nova coalizão anti-síria com a participação da Grã-Bretanha, França, Alemanha e Turquia. . Em regime de teleconferência eles coordenaram medidas para ajuda complementar à oposição síria. Os combatentes para a derrubada do regime de Bashar al-Assad receberão do exterior armas, munições e novos grupos de mercenários. Há um ano o mesmo foi feito para a derrubada do dirigente da Líbia, Muammar Kadhafi – assinalou neste sentido o especialista do Instituto de Estudos orientais da Academia de Ciências da Rússia, Boris Dolgov:
"É um franco desejo de repetir o roteiro líbio. Aliás, recentemente Clinton falou também da possibilidade de introdução de zona proibida para voos. E isto é exortação à ingerência armada de fato nos assuntos da Síria."
Aliás, nesta semana uniram-se aos mercenários estrangeiros, que ajudam a oposição armada a derrubar Bashar al-Assad, dois conhecidos comandantes de campo da Líbia. Eles comandaram os destacamentos de assalto, que atacaram o palácio presidencial de Muammar Kadhafi em Tripoli.
Na sexta-feira o canal de televisão Al Arabiya, citando fonte dos EUA, informou que a oposição síria recebeu 14 conjuntos móveis de mísseis antiaéreos Stinger. Eles foram levados do território da Turquia. A mesma fonte informou que tanto os EUA como a Turquia sabem desses fornecimentos. Sendo que o financiamento parte, provavelmente, da Arábia Saudita. O especialista do centro petersburguense de estudo do Oriente Médio, Alexander Sotnitchenko, adverte: a brincadeira com fogo do Ocidente queimará a Síria e não a voltará para o caminho da democracia:
"As enormes e constantes injeções financeiras na oposição síria no final das contas fará com que Bashar al-Assad seja obrigado a deixar seu cargo. Mas então a Síria transformar-se-á totalmente em zona de operações de guerra, começará lá uma verdadeira guerra civil."
No entanto o roteiro de ingerência externa de força para a solução da crise síria não encontrou apoio suficiente na cúpula da Organização de Cooperação Islâmica. Isto foi reconhecido pelo secretário geral da organização Ekmeleddin Ihsanoglu.
Na sexta-feira o cargo de emissário da ONU e da Liga Árabe para a solução do conflito na Síria, foi ocupado pelo diplomata argelino Lakhdar Brahimi. Ele deverá continuar o trabalho de Kofi Annan, que se demitirá no final agosto. Em Moscou esperam que Lakhdar Brahimi participe também dos trabalhos do Grupo de ação para a Síria.

Fonte: Voz da Rússia

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Selo de Sansão foi encontrado em Israel



Um selo de 15 mm de diâmetro e com as efígies do homem e do leão foi encontrado durante as escavações arqueológicas em Beit Shemesh, cidade mencionada no Antigo Testamento como lugar onde a caravana de filisteus que devolveram a Arca da Aliança a Israel parou para acampar.

O selo em si não dá resposta à pergunta sobre a altura exata de surgimento da lenda nem se Sansão era uma personagem histórica ou uma imagem coletiva, um herói mitológico. No entanto, ajudará a “interligar essa hisória bíblica com os dados arqueológicos”, diz Shlomo Bunimovits, professor da Universidade de Telavive e um dos dirigentes das escavações.

Nota: Como sempre, para a historicidade bíblica ser comprovada necessita-se de 100% de evidências e mesmo assim há questionamentos. No entanto, para a teoria da evolução por exemplo, fazem-se várias afirmações em cima de qualquer simples fragmento incompleto. É isto imparcial?

EUA criam bases aéreas secretas na África



Os EUA estão ampliado suas operações de reconhecimento em África, estabelecendo uma rede de pequenas bases aéreaspara vigiar terroristas, informa The Washington Post.
Segundo o jornal, os EUA empregam aviões pequenos, que imitam os privados. Estes aviões não estão armados, sendo equipados de sensores de movimento (incluindo no expectro de infravermelhos), equipamentos de rádio e celulares. Em geral, empregam aviões tripulados, sendo que estes atraem menos atenção, além de serem mais baratos de operar. Habitualmente, o reconhecimento é efetuado através do monomotor Pilatus PC-12

Fonte: Voz da Rússia

Em apoio a Pussy Riot, ativista do Femen corta cruz ortodoxa


Prisão das integrantes de banda tem gerado diversas manifestações. Banda criticou Putin; tribunal emite veredicto nesta sexta (17).
A prisão das Pussy Riot tem gerado as mais diversas manifestações. De Madonna ao ex-Beatle Paul McCartney, as estrelas pop do mundo pediram publicamente pela libertação das três integrantes da banda punk russa.
Red Hot Chilli Peppers foi um dos primeiros grupos que prestou apoio às jovens - campanha que foi imediatamente seguida por Sting, Peter Gabriel, The Who e Bjork, entre outros.
Julgamento
Nesta sexta-feira (17), um tribunal de Moscou irá emitir o veredicto, após o julgamento das três mulheres que cantaram uma "oração punk" no altar da Cristo Salvador em fevereiro, pedindo para que a Virgem Maria livrasse a Rússia de Vladimir Putin, o então primeiro-ministro.
Promotores querem que o juiz condene Nadezhda Tolokonnikova, de 22 anos, Maria Alyokhina, de 24, e Yekaterina Samutsevich, de 30, por vandalismo motivado por ódio religioso, com pena de três anos de prisão para cada uma.
As acusadas estão detidas desde logo depois de sua apresentação, que ofendeu muitas pessoas no país de maioria cristã ortodoxa. Os críticos do governo russo veem o julgamento como parte de uma repressão a dissidentes, à medida que Putin começa o seu novo mandato de seis anos como presidente.
O Pussy Riot decidiu realizar o protesto na catedral depois que o patriarca ortodoxo russo, Kirill, pediu voto para Putin às vésperas das eleições presidenciais de março, um fato que indignou não somente as integrantes do grupo, mas toda a oposição.
Durante o julgamento, uma das jovens chegou a afirmar que se trata de um processo político e que se tivessem cantado 'Madre de Dios, protege a Putin' não estariam diante dos tribunais.
(*com informações da Reuters)

Nota: Alguém mais duvida da inversão de valores e da confusão da sociedade dos últimos tempos e profecias se cumprindo?

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A influência da mídia em nossas vidas!


Somos, todos os dias, bombardeados por diversas mídias que, em comum, tem o objetivo de nos vender alguma coisa. Uma idéia, um produto, um sonho, etc. O instrumento publicitário atinge, na maioria das vezes, seu publico alvo de acordo com o objetivo de seus idealizadores. Mas até que ponto a mídia influencia nossas vidas? A partir de quando a liberdade torna-se libertinagem?
Em alguns casos é interessante questionarmos a força da comunicação como influência das atitudes da massa popular a qual atinge. Por isso, a responsabilidade dos veículos de mídia é enorme, afinal uma marca forte pode influenciar uma quantidade significativa de pessoas tanto positiva como negativamente.
Um bom exemplo de mídia questionável refere-se às antigas mídias de cigarro. Na época em que eram veiculadas, incitavam o jovem a fumar, com a idéia de que o cigarro estava ligado à aventura, maturidade e saúde. Nos comerciais exibidos na TV e/ou em mídia impressa, imagens ligadas a esporte e juventude atraiam, principalmente adolescentes, a experimentarem o cigarro.
Após alguns anos, processos se acumularam contra a indústria do tabaco, vindos principalmente de pessoas que contraíram doenças respiratórias, as quais, circunstancialmente eram ligadas ao uso contínuo de cigarro. Em 2000, com a lei 10.167, a propaganda de cigarro foi proibida no Brasil. Segundo José Carlos Mattedi, da Agência Brasil.[1] Pesquisas feitas na época avaliaram o impacto da ausência da propaganda de cigarros entre os jovens da época, segundo os pesquisadores:
“Pode ter havido outras motivações que levaram a uma diminuição no consumo ou na sua estabilização. Mas não tenho dúvidas que a proibição da propaganda foi fundamental para os resultados”, enfatiza Carlini. Além dele, trabalharam nas pesquisas: José Carlos Galduroz, Arilton Martins Fonseca e Ana Regina Noto.
“A propaganda de cigarro era bastante insinuante, ligada ao sucesso pessoal e a fatores como status econômico. Isso influenciava, principalmente, a camada jovem”, ressalta Carlini.
“Já o primeiro estudo que fizemos em 1987, também com estudantes, mas em 27 capitais, mostrava que 22,4% haviam experimentado tabaco, número esse que subiu para 32,7% dez anos depois, num aumento de 50%”, sublinha, sugerindo que caso a proibição não fosse aprovada, os dados atuais seriam acentuados. “O dado de 2005, de 21,7%, é menor do que o de quase 20 anos atrás”, pontua.
O número caiu tanto entre os meninos como entre as meninas. Nos primeiros, a queda foi de 36% (1997) para 21,9%. Na outra faixa, de 31,9% para 21,3%. Entre os pré-adolescentes (12 a 14 anos) também houve diminuição: de 13,8% para 8%.
Ao analisarmos uma pesquisa como essa, temos de forma clara, a idéia de quão poder tem a mídia. O Brasil ainda treme ao lembrar-se da ditadura e sua censura. No entanto, cabe ressaltar, que a responsabilidade dos veículos de comunicação refere-se, em parte, a educação de nossas crianças e jovens.
Portanto, cada mensagem deve ser analisada do ponto de vista crítico, evitando o desgaste ainda maior da sociedade atual, a qual tem seus filhos criados por terceiros, na medida em que, os pais, tornam-se ausentes ao serem explorados, de forma, cada vez mais intensa pelo sistema econômico atual.
Fonte: Agência Brasil

Mídia e o culto à beleza do corpo



Há nas sociedades contemporâneas uma intensificação do culto ao corpo, onde os indivíduos experimentam uma crescente preocupação com a imagem e a estética.
Entendida como consumo cultural, a prática do culto ao corpo coloca-se hoje como preocupação geral, que perpassa todas as classes sociais e faixas etárias, apoiada num discurso que ora lança mão da questão estética, ora da preocupação com a saúde.
Segundo Pierre Bourdieu, sociólogo francês, a linguagem corporal é marcadora pela distinção social, que coloca o consumo alimentar, cultural e forma de apresentação – como o vestuário, higiene, cuidados com a beleza etc. – como os mais importantes modos de se distinguir dos demais indivíduos.
Nas sociedades modernas há uma crescente preocupação com o corpo, com a dieta alimentar e o consumo excessivo de cosméticos, impulsionados basicamente pelo processo de massificação das mídias a partir dos anos 1980, onde o corpo ganha mais espaço, principalmente nos meios midiáticos. Não por acaso que foi nesse período que surgiram as duas maiores revistas brasileiras voltados para o tema: “Boa Forma” (1984) e “Corpo a Corpo” (1987).
Contudo, foi o cinema de Hollywood que ajudou a criar novos padrões de aparência e beleza, difundindo novos valores da cultura de consumo e projetando imagens de estilos de vida glamorosos para o mundo inteiro.
Da mesma forma, podemos pensar em relação à televisão, que veicula imagens de corpos perfeitos através dos mais variados formatos de programas, peças publicitárias, novelas, filmes etc. Isso nos leva a pensar que a imagem da “eterna” juventude, associada ao corpo perfeito e ideal, atravessa todas as faixas etárias e classes sociais, compondo de maneiras diferentes diversos estilos de vida. Nesse sentido, as fábricas de imagens como o cinema, televisão, publicidade, revistas etc., têm contribuído para isso.
Os programas de televisão, revistas e jornais têm dedicado espaços em suas programações cada vez maiores para apresentar novidades em setores de cosméticos, de alimentação e vestuário. Propagandas veiculadas nessas mídias estão o tempo todo tentando vender o que não está disponível nas prateleiras: sucesso e felicidade.
O consumismo desenfreado gerado pela mídia em geral foca principalmente adolescentes como alvos principais para as vendas, desenvolvendo modelos de roupas estereotipados, a indústria de cosméticos lançando a cada dia novos cremes e géis redutores para eliminar as “formas indesejáveis” do corpo e a indústria farmacêutica faturando alto com medicamentos que inibem o apetite.
Preocupados com a busca desenfreada da “beleza perfeita” e pela vaidade excessiva, sob influência dos mais variados meios de comunicação, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica apresenta uma estimativa de que cerca de 130 mil crianças e adolescentes submeteram-se no ano de 2009 a operações plásticas.
Evidentemente que a existência de cuidados com o corpo não é exclusividade das sociedades contemporâneas e que devemos ter uma especial atenção para uma boa saúde. No entanto, os cuidados com o corpo não devem ser de forma tão intensa e ditatorial como se tem apresentado nas últimas décadas. Devemos sempre respeitar os limites do nosso corpo e a nós a mesmos.

Fonte: Brasil Escola

Submarino invisível russo preocupa Pentágono


Um submarino estratégico russo realizou com êxito, no quadro do seu programa de treinos, uma missão junto do litoral dos EUA sem ter violado a legislação internacional.

O submarino, munido de mísseis de cruzeiro, esteve durante um mês em navegação nas águas do golfo do México. Ele foi detetado somente quando deixava esta região. A informação foi difundida pela editora americana Washington Free Beacon que cita altas fontes não mencionados do Pentágono.
O submarino multimissão russo, projeto 971 ou, de acordo com a classificação da OTAN, Tubarão, patrulhou durante várias semanas de junho e julho deste ano o litoral americano. Os satélites e sensores hidroacústicos americanos não conseguiram detetar a sua presença neste local. O submarino foi intercetado somente quando mostrou aos americanos o seu "rabo".
Desta maneira os militares russos conseguiram resolver de vez várias tarefas táticas e estratégicas sem violar a legislação internacional e sem penetrar nas águas territoriais do outro Estado.
Em primeiro lugar, a tripulação levou a cabo um treino bem-sucedido. Em segundo lugar, os militares russos obtiveram informações sobre o deslocamento de submarinos e navios da superfície americanos nesta região. Além disso, a Rússia tornou bem claro aos americanos que não existe um sistema de segurança absolutamente fiável,- ressaltou o diretor do Centro de Pesquisas Sócio-Políticas, Vladimir Evseev.
“Esta é uma lição clara para os EUA, uma lição que lhes mostra que não se deve impor ao mundo inteiro a sua política externa por meio da força, pois os demais Estados também dispõem de certas possibilidades na esfera militar. Se os EUA realizarem os seus interesses nacionais somente por meio da força, esta política vai resultar em qualquer hipótese uma espécie de bumerangue. Os EUA devem compreender a sua vulnerabilidade pois o sistema de defesa antimíssil é muito pouco eficiente contra os mísseis de cruzeiro que podem voar a pequenas alturas. E os submarinos atômicos levam mísseis de cruzeiro que não podem ser detetados com os meios comuns, utilizados para rechaçar o ataque de objetos balísticos. Estes mísseis abrem uma brecha no sistema de defesa antimíssil, demonstrando que simplesmente não existe um sistema ideal de defesa antimíssil. E isso destrói a aura de invulnerabilidade dos EUA – o principal estímulo da sua política internacional de permissividade total.”
Enquanto os especialistas militares russos se congratulam pelo êxito desta campanha, a incapacidade de detetar o submarino provocou preocupação nos círculos militares dos EUA. As autoridades americanas e representantes das Forças Armadas não fizeram comentários a este respeito. Mas é pouco provável que a informação tivesse “transpirado” por acaso. Desta maneira o Pentágono procura convencer o Congresso a destinar mais dinheiro para fins militares,- supõe Alexander Khramchikhin, perito do Instituto de Análise Política e Militar.
“Estou certo de que toda esta informação tem em vista o orçamento. É que agora o orçamento militar americano atravessa uma fase de grande redução. Portanto, esta campanha de propaganda visa evitar os cortes de despesas na Marinha de Guerra.”
O submarino tipo Tubarãoé o tipo principal de submarinos multimissão da marinha de guerra russa. É um navio dificilmente detetável. No nosso país foi construído um total de quinze submarinos deste tipo, um dos quais foi entregue à Índia.

Fonte: Voz da Rússia

Cientistas americanos descobrem um sistema de limpeza do cérebro


Washington, (EFE).- Neurocientistas do Centro Médico da Universidade de Rochester (EUA) descobriram um sistema de drenagem com o qual o cérebro elimina os resíduos, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira na "Science Translational Medicine", que esperam que tenha aplicação na pesquisa dos maçes de Alzheimer e de Parkinson.

O sistema atua como se fossem encanamentos que aproveitam os vasos sanguíneos do cérebro e parece realizar a mesma função no cérebro que o sistema linfático no resto do corpo: drenar de resíduos.

A autora principal do artigo e co-diretora do Centro de Neuromedicina da Universidade de Rochester, Maiken Nedergaar afirmou que "a limpeza de resíduos é de vital importância para todos os órgãos e há muito tempo temos perguntas sobre como o cérebro se desfaz de seus resíduos".

"O trabalho demonstra que o cérebro está se limpando de uma maneira mais organizada e em uma escala muito maior do que se tinha pensado anteriormente", disse Nedergaard que expressou seu desejo de que a descoberta sirva para tratar doenças cerebrais.

"Temos a esperança de que estes resultados tenham implicações para muitas condições que afetam o cérebro, como lesões cerebrais por traumatismo, o mal de Alzheimer, derrames cerebrais e o mal de Parkinson", acrescentou.

A equipe de Nedergaard chamou o novo sistema de "o sistema glinfático", já que atua de maneira similar ao sistema linfático, mas está administrado pelas células do cérebro conhecidas como células da Glia.

A equipe fez o descobrimento em ratos, cujos cérebros são muito similares aos dos humanos.

Os cientistas apreenderam que o líquido cefalorraquidiano tem um papel importante na limpeza do tecido cerebral, encarregado de levar os produtos de resíduo e os nutrientes ao tecido cerebral através de um processo conhecido como difusão.

O sistema recentemente descoberto circula por todos os cantos do cérebro de maneira mais eficiente, através do que os cientistas chamam de fluxo global.

"É como se o cérebro tivesse dois coletores de lixo - um lento que já conhecíamos e um rápido que acabamos de conhecer", disse Nedergaard.

"Dada a alta taxa de metabolismo no cérebro e sua grande sensibilidade, não é de se estranhar que seus mecanismos para se desfazer dos resíduos sejam mais especializados e amplos do que se pensava", acrescentou.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Conselho Publicitário afirma que não autorizou propaganda subliminar de “Carrossel”


O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) afirmou que não autorizou a propaganda subliminar da novela infantil "Carrossel", do SBT. A informação é da coluna "Outro Canal", do jornal "Folha de S. Paulo"

A emissora tem exibido chamadas-relâmpago do folhetim durante a sua programação. A prática, para o Conar, é considerada subliminar e tem sido feita sem a consulta ao órgão.

O SBT, no entanto, afirma que o Conselho foi consultado informalmente e, por isso, tem realizado a propaganda de "Carrossel" dessa maneira.

Estados Unidos montam nova coligação anti-siria


Os Estados Unidos tencionam reforçar a interação com parceiros da OTAN para dinamizar o derrube do poder legítimo na Síria. A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, discutiu em regime de conferência telefônica este tema com colegas da Inglaterra, França, Alemanha e Turquia.

Os interlocutores, em particular, coordenavam medidas de concessão de ajuda adicional à oposição síria. A julgar pelo caráter extraordinário da conferência, a ajuda será prestada também com urgência. Para derrubar o regime de Assad, os rebeldes receberão armas, munições, meios de comunicação, dados de reconhecimento e novos grupos de mercenários.
Boris Dolgov, perito do Instituto de Orientalística da Academia de Ciências da Rússia, qualificou a conferência sobre a Síria, com a participação de principais países da OTAN, como um prelúdio da repetição da experiência no derrube de regimes indesejáveis, ensaiada há um ano na Líbia:
“Esta é uma tentativa aberta de voltar a aplicar o roteiro líbio. Destaque-se que, recentemente, Clinton falou também sobre a possibilidade de introduzir uma zona de exclusão aérea. Mas este é um apelo à intervenção militar real nos assuntos da Síria.
Uma zona de exclusão aérea equivale à destruição de sistemas de defesa antiaérea, a bombardeamentos da aviação, a ataques de mísseis de cruzeiro. Está será uma intervenção militar na Síria, que poderá ser realizada só eludindo a ONU, porque a Rússia e China vetaram três vezes as resoluções que abriam caminho ao cenário líbio de resolução da crise síria”.
A propósito, aqueles que o Ocidente havia apoiado com armas e dinheiro na Líbia já hoje lutam ativamente contra o poder de Bashar Assad. Terça-feira, tornou-se conhecido sobre a penetração de dois comandantes de campo perigosos na Síria, que há um ano encabeçaram grupos de assalto que atacavam o palácio presidencial de Muamar Kaddafi em Trípoli. Em conjunto com eles chegaram franco-atiradores e mercenários que sabem utilizar armamentos pesados e sistemas portáteis de defesa antiaérea.
Mercenários estrangeiros são concentrados principalmente no norte da Síria, onde decorre a batalha por Aleppo, capital econômica do país, da qual pode depender o resultado do conflito na Síria. O politólogo Stanislav Tarassov considera que, apesar de grande ajuda externa, a oposição não é capaz de chegar ao efeito esperado no Ocidente e em alguns países do Golfo Pérsico:
“O Conselho Nacional Sírio, no exílio, não conseguiu fixar-se no território da Síria. Por outras palavras, esta parte do cenário líbio na Síria falhou, tal como a tentativa de ocupar Aleppo e formar na cidade um governo de transição, como aconteceu na Líbia em Benghazi”.
Ao mesmo tempo, o Ocidente, com a ajuda de parceiros em alguns países árabes, reforça a guerra propagandística contra o regime de Bashar Assad, tentando envolver nela a Rússia. Em particular, a edição saudita Al-Watan divulgou uma alegada entrevista do representante especial do presidente da Rússia para o Oriente Médio, Mikhail Bogdanov, em que se afirma que o presidente Bashar Assad teria sido disposto a abandonar seu posto.
Ao nível diplomático, Moscou criticou a edição por tais métodos sujos. Mas é evidente que este foi um boato propagandístico bem pago. Por isso os autores desta desinformação foram qualificados por Moscou como provocadores que agravam premeditadamente a situação em torno da Síria.

Fonte: Voz da Rússia

Índia anuncia projeto para enviar missão a Marte em 2013


O primeiro-ministro indiano Manmohan Singh afirmou, nesta quarta-feira, que o país planeja enviar uma missão especial para Marte já em 2013, com o objetivo de coletar informações científicas sobre o planeta. As declarações foram reproduzidas no jornal Daily Mirror.
Singh aproveitou as cerimônias do 65º aniversário da independência do país para exaltar os avanços tecnológicos indianos. Apesar de não divulgarem o nome da missão, cientistas projetaram que o veículo espacial levaria aproximadamente 11 meses para se aproximar do solo marciano.
Na última semana, a Nasa concluiu com sucesso o envio da sonda Curiosity a Marte, feito pioneiro no estudo do planeta. A Índia possui ativo programa espacial desde 1960.
Fonte: Terra

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Israel exige que Obama anuncie publicamente sua disponibilidade de bombardear Irã


O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o ministro da Defesa Ehud Barak estão tentando obter a declaração pública do presidente dos EUA Barack Obama sobre a disposição de usar a força militar contra o Irã, informa o jornal Maariv.

A liderança israelense espera que o líder dos EUA faça tal declaração na abertura da Assembleia Geral da ONU, que terá lugar em 25 de setembro, ou durante qualquer outro fórum público, mas até essa data. Atualmente, a embaixada de Israel nos Estados Unidos e a representação na ONU estão tentando agir nesta direção.

Israel lançará água de mar ao rio Jordão


O Governo de Israel decidiu preencher o rio Jordão com água de mar dessalinizada.

Durante dez anos, serão lançados anualmente ao rio 150 milhões de metros cúbicos de água.
Tel Aviv empreendeu este passo devido a uma baixa rápida das águas do rio outrora muito caudaloso, que, nos últimos anos, se transformou num riacho que é possível atravessar a vau. Uma das causas são as necessidades agrícolas de Israel, Jordânia e Síria, que absorvem até 90% do fluxo de água do Jordão.
O salvamento do rio tem também um sentido religioso. De acordo com os Evangelhos, João Batista desenvolveu a sua pregação nas proximidades do Jordão, onde batizou Jesus Cristo que aqui foi proclamado Filho de Deus.